Os 6 principais cuidados para um bom SEO

SEO-1

O principal objetivo de um e-commerce é converter. Pode até parecer óbvio, mas para isso, os seus consumidores precisam chegar até o seu site. O que não é tão óbvio assim. Afinal, existem vários outros concorrentes vendendo a mesma coisa que você e principalmente, lutando pela mesma vitrine: O Google.

Mesmo se você não for muito ligado ao universo da comunicação e das agências digitais, com certeza sabe que SEO significa “Search Engine Optimization” (mecanismo de otimização de pesquisa). Mas Você sabe como alcançar uma boa posição? Preparamos uma lista com os 6 principais cuidados para construir uma estratégia de SEO.

 

1 – Palavras chave:

A Estratégia de SEO sempre começa na pesquisa por palavras chave. São elas que levarão o seu consumidor até a sua página e que tornaram o seu Link, encontrável no sistema de busca do Google.

 

Leia também: Vale a pena contratar uma agência de marketing de conteúdo?

 

Nessa fase, é importante ter o seu funil de vendas sempre em mente, buscando palavras que conversem com o seu consumidor independente do nível em que ele se encontra.  O seu site deve atrair tráfego de todas as etapas da jornada de compra. Ou seja, serem tanto Head Tail (topo do funil), tanto Long Tail (fundo do funil).

Os termos Head tail, são mais genéricos como, por exemplo, “calça” e costumam gerar um tráfego maior. Mas por ser o início da jornada de compra, não geram tanta conversão como os Long Tail.

Os termos fundo de funil, como “calças amaro por 50% de desconto” atraem um comprador mais decidido e mesmo gerando um tráfego menor, tem mais chance de acabarem em vendas.Porque esse usuário já está mais decidido a comprar.

A estratégia utilizada, criada por você ou até por uma agência de marketing digital (se precisar de uma solução mais completa), deve ter termos dos dois tipos.

2 – Título das páginas e Heading tags

Depois de definir as suas palavras chave, é preciso inseri-las de maneira inteligente nas suas páginas. Assim, o Google vai compreender o seu principal assunto.

O titulo é o principal fator do “SEO On Page”, por isso garante que suas palavras chave apareçam nele. Esse ponto é essencial para uma boa posição no algoritmo de busca.

As Heading tags (tags <h1>, <h2>, <h3>…) São classificações no código que determinaram a hierarquia entre os títulos  e intertítulos de uma página.

 

Leia também: 5 erros na produção de conteúdo para seu negócio

 

O h1 é titulo de maior destaque, ele provavelmente é o mesmo que você já utilizou como oficial daquela página, enquanto os outros títulos vão destacar palavras chave relacionadas e tópicos da sua página. Além disso, elas otimizam a leitura e garantem uma posição melhor no search console.

Como por exemplo, a estrutura desse texto:

  • h1 = “Os 6 principais cuidados para um bom SEO” (o título principal)
  • h2 = Significado do SEO (informação destacada da introdução)
  • h3 = Títulos das páginas e Heading Tags (tópicos a serem trabalhados)
  • h4 = Exemplos (Abaixo na hierarquia, estão os exemplos, que estão dentro dos tópicos)

3 – Descrição dos produtos

Outro lugar da sua página que não pode faltar as suas palavras chave é na descrição dos produtos. É natural usá-las até para o consumidor conseguir identificar o produto que ele está procurando. Mas elas são utilizadas nessa posição principalmente, pois aumenta a chance desse produto aparecer nas buscas.

A chave para um bom SEO é criar textos originais e interessantes, mas com um bom posicionamento estratégico. Existem agências de e-commerce especializadas em otimização, caso precise de auxilio externo para atingir o seu objetivo.

 

4 – Imagens

As imagens, além de melhorarem a redibilidade da página, podem gerar um bom tráfego para a sua página. Mas garanta que elas estejam com as tags corretas.  Aqui tem um conteúdo completo sobre imagens SEO (https://marketingdeconteudo.com/alt-text/).

5 – Meta Description

As metas Description são o texto que acompanham o titulo da página no search console. Elas podem ser utilizadas como pequenos anúncios para a sua página, explorando as categorias e os produtos que você anuncia.

Além disso, lembre-se de usar suas palavras chave para otimizar sua posição nas buscas. Ela aparece em negrito quando aparecer como resultado para um buscador.

 

6 – Linkagem interna

A linkagem interna é utilizada como uma hierarquização das páginas. Onde, uma pagina importante, transfere a importância para as menos acessadas dentro do seu site. Assim, o Google entende que essas páginas menores também são relevantes.

Um exemplo disso, é quando um link para produto é inserido na “head Page”, por exemplo, na seção de mais vendidos ou em promoção.

Esse é um processo essencial e muito critico para alcançar uma otimização positiva. Às vezes, é mais vantajoso procurar um profissional especializado ou uma agência de marketing digital para cuidar dessa parte. Pois quanto mais links ela receber, mais importante será nos resultados.

 

Esses são os principais fatores para atingir um bom SEO, sempre leve em consideração a experiência do usuário no seu site, hoje o Google já consegue identificar os sites mais estruturados. Então procure sempre apresentar um layout interessante, uma navegação rápida e eficaz e um conteúdo de qualidade.

O consumidor é inteligente e não gosta de ser lubridiado. Ofereça o que as suas palavras chave e títulos vendem, esse é o principal fator para gerar conversão e principalmente, não lute contra o google, junte se a ele.

 

 

Entenda o que é marketing de emboscada

marketing de emboscada

Entender o que é marketing de emboscada ou por emboscada é importante para evitar cometer ações que são consideradas erradas e sem ética. Saber os limites do uso de marcas de eventos para divulgação de empresas é essencial para não ser enquadrado em nenhuma lei e nem mesmo para perder a confiança dos seus clientes.

O nome emboscada se refere a ideia de usar uma associação indevida de uma empresa com a marca de um evento esportivo, musical, cultural entre outros. É importante observar que em geral esse tipo de evento possui os patrocinadores oficiais que são aqueles que têm o direito de usar a logo, identidade visual, fazer campanhas entre outras ações de marketing relacionadas ao evento oficial. Já no caso de quem faz marketing de emboscada esse uso se dá sem que haja o patrocínio efetivo. Ele é quase que o oposto do marketing de guerrilha!

Afinal o que é marketing de emboscada e como evita-lo?

  • Definição de marketing de emboscada

Basicamente marketing de emboscada se configura em fazer uso da imagem de um evento esportivo, cultural, musical, social, indevidamente. Isso, sem que haja um contrato de patrocínio.

Nesses casos o público é levado a acreditar que a empresa que está usando o evento em suas campanhas de marketing. As pessoas acreditam, que há algum vínculo com o mesmo.

Além de ser algo feito em grande parte dos casos por má fé, também é contra a lei.

Abaixo separamos alguns exemplos de marketing de emboscada direto e indireto, assim você pode estabelece estratégias para evita-lo.

Marketing de Emboscada Direto

  • Marketing de Emboscada Predatória

Criar campanhas de marketing em que esteja estabelecida uma relação entre o evento e a marca sem que a última seja uma patrocinadora oficial. Nesse caso a empresa tem plena ciência de que não é patrocinadora, mas ainda assim insiste em associar a sua imagem ao acontecimento.

 

marketing de emboscada

 

  • Marketing de Emboscada de Grau

É possível que mesmo aquelas empresas que detém uma cota de patrocínio de um evento, acabem cometendo erros. Estes, podem ser enquadrados como marketing de emboscada.

Essa ação pode ser considerada a partir do uso indevido da imagem do evento, por exemplo. Pode ser que a cota adquirida permita apenas usar um banner em seu site e usar a logo em alguns materiais.

No entanto, a empresa em questão faz uma grande variedade de materiais e de usos da marca do evento sem a devida autorização. Desta forma, levando o público a acreditar que houve uma contribuição muito maior.

Marketing de Emboscada Indireto

  • Marketing de Emboscada por Associação

Consiste em adicionar a logo ou a identidade visual de um determinado evento numa campanha da empresa.  Fazendo assim, com que o público acredite que se trata de um patrocinador.

Cria-se uma associação entre a empresa e o evento. Esta na verdade, não existe, porque não foi adquirida nenhuma cota de patrocínio.

  • Marketing de Emboscada por Distração ou Intrusão

Uma tática em que uma empresa coloca anúncios nas redondezas do local de um evento. Com isso, o público passa acreditar que essa marca é uma das patrocinadoras quando na verdade não é. Pode parecer uma estratégia de marketing inocente, mas pode ser enquadrada na legislação então cuidado.

  • Marketing de Emboscada de Insurgência

Nesse caso se cria uma propriedade paralela do evento, podem ser usados carros de som, blitz ou mesmo um posto antes do evento em que determinada empresa realiza uma ação que faz com que o público acredite que faz parte do evento principal. Criar qualquer tipo evento ou acontecimento perto do evento principal acarreta nessa relação de propriedade paralela.

  • Marketing de Emboscada Incidental

Quando uma marca que não é patrocinadora de um evento acaba aparecendo relacionada a ela mesmo que incidentalmente. Por exemplo, num jogo de futebol as chuteiras dos jogadores podem se destacar com uma marca que não é a patrocinadora oficial do evento.

  • Ações ilegais

Sabemos que comprar uma cota de patrocínio de grandes eventos não é fácil em termos de custos. Porém, não vale a pena procurar faze uso desleal do mesmo para alavancar a sua empresa. Existem leis que protegem aqueles que pagaram pela cota de patrocínio e dessa forma pode acontecer de a sua empresa acabar sendo enquadrada.

Tenha atenção

É importante saber o que é marketing de emboscada para evitar cair nele e prejudicar a imagem da sua empresa a longo prazo.

 

 

Planejamento de conteúdo para afiliado, como criar o seu?

Planejamento de conteúdo para afiliado

É fato que o conteúdo de um site faz total diferença nas vendas. Daí vem a importância de um bom planejamento de conteúdo para afiliado. Isso já foi comprovado várias e várias vezes. É inegável que o conteúdo causa grande influência nas vendas como afiliado!

Caso você esteja com este pensamento em mente, de que ter conteúdo de qualidade faz toda a diferença para suas vendas, acredite, você está um bom trecho à frente de boa parte de seus concorrentes.

No entanto, produzir conteúdo de qualidade não é das tarefas mais fáceis. É necessário que você tenha um planejamento bem elaborado.  Isso, por que erros comuns cometidos logo no início da organização, podem arruinar todo o resto do processo. Tendo isso como base, vamos te dar algumas dicas de como fazer um planejamento de conteúdo para afiliado.

 

Primeiro de tudo, estabeleça objetivos e metas bem claros

Assim como qualquer planejamento, é preciso conhecer o processo. Em tudo que diz respeito a marketing digital, a estratégia que será usada no conteúdo para sites deve levar em consideração um cenário que seja realista. Mas que ao mesmo tempo, justifique o porquê desta estratégia estar sendo usada.

Para começar neste passo, você deve se fazer algumas simples perguntas, como:

O que você realmente tem como objetivo com afiliado?

Quais metas você espera bater em determinado período de tempo?

Partindo do princípio!

 

Geralmente, seus objetivos são algo mais literal, como por exemplo, aumentar o número de cliques em seus anúncios. Já as metas, são mais quantitativas, como por exemplo, aumentar em 25% o número de vendas de determinado produto em um certo período de tempo, ou qualquer outro exemplo que esteja relacionado com seus objetivos.

 

Procure definir KPIs e métricas para fazer um acompanhamento dos resultados obtidos a partir de seu planejamento de conteúdo

A grande questão neste tópico é…

Não adianta de nada você estabelecer grandes metas e objetivos, se você não faz um acompanhamento para poder mensurar os resultados obtidos a partir disso. Sendo assim, é de extrema importância que você tome medidas para acompanhar os seus resultados. Tudo isso, a partir da criação do seu planejamento.

Procure focar nos indicadores de maior importância para um afiliado. Geralmente, as suas vendas. Concentre-se em acompanhar também o número de clientes conseguidos através de seu conteúdo. Outro indicador é o número de cliques em seus anúncios, entre outras métricas.

Planejamento de conteúdo para afiliado

 

Leia mais em: 10 formas de ser um afiliado de sucesso

 

Planejamento de conteúdo para afiliado – Tenha sempre seu foco voltado para as pessoas

São elas que fazem a parte de maior importância para um afiliado, pois são elas que clicam em seus anúncios e que compram os produtos que você ofertou.

Você deve manter este pensamento em mente quando o assunto for o planejamento de seu conteúdo.

Neste ponto, você também deve se fazer algumas perguntas para si mesmo, como: Quais são as dúvidas mais comuns entre meus clientes? De alguma forma meu conteúdo poderá ajuda-los a resolver seus problemas? De alguma maneira meu site poderá auxiliar as pessoas a tomarem a decisão de comprar determinado produto de uma forma que ela se sinta com mais segurança?

 

No planejamento de conteúdo para afiliado, outras questões ainda devem ser desenvolvidas, no entanto, seu foco principal deve ser trabalhar em cima das pessoas, procurando meios de ajuda-las, e assim, consequentemente, fazer com que elas criem confiança em você e comprem os produtos que você anuncia.

Outro item a ser destacado é a linguagem que você utilizará em seu conteúdo. Procure sempre adaptar a forma que seu conteúdo é dirigido ao tipo de público para qual ele será direcionado, além de adaptar questões como o tamanho do texto, por exemplo.

Tenha cautela na hora de escolher suas palavras-chave

Este é mais um fato que está relacionado com a linha editorial de seu site. As palavras-chave tem uma extrema importância no conteúdo de seu site, pois são elas que irão definir o tema de seus materiais, e é por meio delas que seu público te encontrará na internet.

Além disso, elas são itens indispensáveis no que diz respeito ao SEO de seu site. Para escolher as palavras-chave ideais, utilize ferramentas como o Keyword Planner, e alie as palavras-chave que você mesmo pensou, e assim você terá as melhores escolhas para o nicho de mercado que você atua.

 

Leia mais em: SEO para afiliado, 5 regras básicas

 

Procure se organizar e criar um calendário editorial

O grande ponto aqui é a organização de seu tempo. Procure criar um cronograma, seja ele mensal ou semanal, tanto faz, o que importa é que você organize uma rotina para seu site.

Organize todas as atividades de sua página, como os temas que serão tratados, o formato do conteúdo que você publicará (texto, áudio, vídeo, etc.), as palavras-chave, e uma outra série de fatores presentes no seu conteúdo.

Fazer este cronograma de conteúdo para sua página pode parecer um pouco trabalhoso em um primeiro momento, no entanto, o retorno obtido a partir dele é recompensador.

Criando um planejamento de conteúdo para afiliado, com certeza você terá muito mais cliques em seus anúncios, se antecipando em relação a seus concorrentes e  oferecendo um conteúdo de qualidade a seu público.

Planejamento de conteúdo para afiliado

 

Surgiu alguma dúvida ou sugestão? Entre em contato conosco!

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

5 formas de melhorar o tráfego orgânico de seu site!

trafego-organico

Os sites das empresas são na maioria das vezes o primeiro contato que o cliente tem com o serviço ou produto da companhia, e se você deseja ter um bom tráfego orgânico é essencial investir em um bom sistema de trabalho para conseguir isso.

É importante lembrar sempre que um SEO mal feito não irá gerar bons resultados, mesmo que em alguns momentos as pessoas costumem a afirmarem que conseguir um com tráfego orgânico seja quase como ganhar na loteria. Em primeiro lugar é sempre bom entender que nenhum negócio na internet funcionaria sem a ajuda dos buscadores, pois é através deles que muitas pessoas buscam informações sobre determinado produto.

E para saber que vale muito a pena investir em melhorar o tráfego orgânico do seu site, uma pesquisa divulgada pelo Search Engine Journal confirmou que 70% dos links clicados pelos usuários vêm da pesquisa orgânica, e não da paga, portanto, isso já comprova a sua importância. Se você não lembra do conceito, veja este artigo onde explicamos o que é SEO.

 

Chega de ser infeliz trabalhando!

 

Um dica é pensar nas ferramentas de busca como uma maneira que as pessoas encontraram para achar informações corretas, e o seu papel é facilitar a vida delas, fazendo com que elas encontrem mais facilmente. A eficácia do marketing de conteúdo é inegável, sendo que uma boa distribuição de conteúdo pode aumentar em até 2.000% o tráfego de um blog.

Passos para construir um tráfego orgânico de sucesso

E para conseguir melhorar o tráfego orgânico do seu site é necessário seguir algumas etapas importantes para conseguir atingir essa meta, confira:

  1. Encontre as perguntas certas dos usuários na hora de escolher as palavras-chaves

Isso é fundamental, e inclusive você pode trazer esse exemplo para a vida real. Quando você puxa conversa com um estranho, qual a sua primeira reação? Acertou quem disse fazer uma pergunta, e essa é uma característica do convívio social. Uma maneira de saber quais as perguntas mais feitas sobre o mercado em que você atua é acessar um site muito popular, o Quora, através dele, é possível acessar essas perguntas e poder dar as respostas certas a elas dentro do seu site.

 

Pesquisas por palavras-chaves costumam não apresentar uma palavra exata, e sim sugestões de palavras e termos. Responder as principais perguntas das pessoas irá fazer com que você se torne realmente relevante. Essa mesma técnica pode ser feita no planejador de palavras do Google, só que no lugar de digitar uma palavra, você coloca a pergunta.

 

 

  1. Palavras ligadas a cauda longa

Não adianta fazer os melhores textos e esperar que as pessoas visitem o seu blog ou site. As chances disso acontecer aumentam bastante quando você se concentra nas palavras-chaves ligadas a cauda longa.

Você pode até não alcançar uma quantidade expressiva de tráfego através dessas palavras. Mas elas com certeza irão gerar visitas mais direcionadas para o seu negócio. O que pode ser uma vantagem extra quando comparada a maneira tradicional. Mesmo com as constantes mudanças que o Google faz no seu algoritmo, as palavras-chaves e link building ainda influenciam bastante o seu ranking.

  1. Invista em bons títulos

O título pode definir se a pessoa irá acessar ou não o seu site. Portanto, invista sempre em títulos que sejam criativos e que tenham a ver com a mensagem eu você quer passar.

Um erro muito recorrente é as pessoas usarem títulos compostos da palavra-chave mas que não oferecem nenhum atrativo para o leitor. Mesmo sendo pensado para o Google, é importante saber sempre que quem vai consumir o seu conteúdo. Consequentemente o seu produto ou serviço, são pessoas, portanto, seja coerente sempre.

 

trafego-organico

 

  1. Faça uma ampla pesquisa sobre o assunto e fale de maneira personalizada

No mundo da internet o segredo é ser diferente. Mesmo que existem milhares de artigos falando do mesmo assunto que você, é importante mostrar um outro ponto de vista para que você se torne relevante. A principais características que esse conteúdo deve ter é o fato dele ser útil e ao mesmo tempo prático.

Uma dica é fazer uma busca sobre o conteúdo que deseja falar, e em seguida dar a ele um impressão pessoal, mostrar as suas opiniões sobre ele.

  1. Pense em conteúdos que possam ser compartilhados, e que sejam consistentes e atraentes

Nesse contexto, o termo “atraente” se refere a necessidade de atrair a pessoa para a sua conversa. Lembra que já falamos que as redes sociais precisam ser feitas por trocas de informações. É justamente isso que deve acontecer.

Se por alguma razão a sua estratégia de marketing de conteúdo não estiver dando o resultado que você deseja, é importante ficar atento a dois pontos importantes, o primeiro é se você não está deixando de lado questões como o fato do que você estiver publicando não ser útil para o seu seguidor, ou se você está deixando a desejar na frequência de publicações.

Analise sempre o resultados

A melhor maneira de saber se o tráfego orgânico do seu site está sendo satisfatório ou não é acompanhar constantemente os números relacionados a ele, ou seja, você precisa saber o que está, ou o que não está, dando certo para conseguir implementar os próximos passos.

Uma forma muito eficiente é saber quais assuntos chamaram mais a atenção dos seus leitores, e aqueles mais desinteressantes, e começar a adotar essa linha editorial, também é ficar atento à época do ano, e no caso de datas comemorativas, saber como elas interferem na vida das pessoas.

Pergunte ao seu público

Ficou sem ideia do que publicar, pergunte ao seu público! Ele com certeza é a melhor fonte de informação sobre o assunto que você pode ter, as chamadas de ações, ou call-to-action. Estes são gatilhos mentais muito poderosos. Eles fazem com que a pessoa tome determinadas atitudes que ajudarão você a definir os seus próximos conteúdos.

As chamadas para a ação mais comuns são pedir para compartilhar. No caso das redes sociais como o Facebook, curtir. Mas isso vai depender de cada momento, uma boa maneira é já deixar a disposição dos seus leitores os botões de compartilhar. Dessa maneira, se você conseguir seduzi-lo, ele poderá enviar para os amigos de maneira muito mais prática e rápida.

4a12a248d81810285f0f0a207359f621

Tem alguma dúvida ou sugestão? Entre em contato conosco!

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

10 formas de ser um afiliado de sucesso!

afiliado de sucesso

A cada dia que passa, mais e mais pessoas tentam ganhar dinheiro na internet. E uma das maneiras de se fazer isso é sendo um afiliado. No entanto, ser um afiliado de sucesso não é das tarefas mais fáceis. Muitas pessoas que começam na carreira de afiliados desistem, por diversos motivos, seja por falta de mentalidade empreendedora, não saber colocar em prática o que se aprendeu na teoria, dar ouvidos a pessoas erradas, etc. No entanto, para quem consegue atravessar os obstáculos e ser um afiliado de sucesso, tem uma renda sólida e estável pela internet.

 

1-Você deve ter a mentalidade de um afiliado de sucesso

Com certeza você já ouviu falar sobre a famosa mentalidade empreendedora ou também MindSet, que nada mais é do que a capacidade de pensar mais alto, e ver novas possibilidades onde ninguém mais vê. A questão aqui é a seguinte: Se você quer ser um afiliado de sucesso, então pense como um. Para muitos, o que mais auxilia neste caso são os livros. É recomendável que esses livros sejam físicos, e não e-books, pois quando você lê um livro digital, as distrações são muitas, e isso faz com que você não aproveite tudo o que o livro tem a te oferecer.

 

2- Conceito de Marketing Digital

 

Pode até parecer algo bobo, mas para quem está começando como um afiliado, é de extrema importância que entenda o que é e para que serve o marketing digital. Após compreender isso, já podemos dizer que você caminhou boa parte do caminho até ser um afiliado de sucesso.

Podemos definir o marketing digital como uma série de mecanismos e estratégias, que são usadas com o intuito de conseguir novos clientes interessados para determinado produto ou serviço, através da internet. Ou seja, não adianta apenas você criar um site, inserir conteúdo e lotá-lo de anúncios para ganhar muito dinheiro pela internet. Para alcançar o sucesso online, é necessário um série de estratégias, que vão desde a escolha de em qual segmento você irá atuar, até mesmo a separação de qual será seu público-alvo, a criação de seu site, criação de conteúdo e uma outra série de coisas, até que no final, chegar em fim nas vendas. Entender este caminho é fundamental, pois assim você irá traçar sua caminhada até seu objetivo final.

3- A escolha do segmento de mercado certo

 

Após você compreender os dois passos anteriores, chegamos na parte de escolher em que área você vai trabalhar. Este pode ser um divisor de águas, entre o sucesso e o fracasso de seu negócio. É preferível que você escolha um assunto que você tenha domínio ou que te interesse muito. Após isso, pense em algumas palavras-chave para validar sua escolha, e depois se informe sobre o número de buscas mensais por esta palavra. Faça isso várias vezes, até achar algo que te interessa e que seja muito procurado.

 

4- Escolha de produtos para vender na Internet

 

Este é um ponto fundamental, pois é nesta parte, que vários afiliados erram. Após escolher em qual nicho de mercado trabalhar, chegou a hora de escolher qual produto anunciar. Vários afiliados efetuam a escolha se baseando no valor das comissões, o que é um erro. Procure escolher produtos de boa qualidade, e que realmente ofereçam o que os clientes precisam, assim você irá aliar o útil ao agradável, promovendo algo que é de seu interesse e que tenha boa qualidade.

 

5- Analise a página de vendas do produto

 

Continuando na parte de escolha do produto, é muito importante você analisar a página de vendas do produto que você está pensando em anunciar. Procure juntar o máximo de informações sobre o produto e se autoquestione: “Se eu você um consumidor, eu compraria este produto? ”. Se sua resposta for um não, pare por aí e vá procurar outro produto para promover. Caso a resposta seja sim, vá em frente.

 

Leia também: Ganhar dinheiro como afiliado, por onde começar?

 

6- Conheça o Produto

 

Como afiliado, você deve ter conhecimento de que as pessoas que possivelmente irão comprar seu produto, tem total consciência se você conhece o produto ou não. Por isso, procure saber o máximo possível sobre o produto, para não manchar sua reputação falando besteiras enquanto anuncia seu produto. Sem contar que um cliente se sente muito mais confortável comprando algo que ele tenha confiança de ser de qualidade, e essa impressão o afiliado pode passar a ele mostrando domínio sobre o produto.

 

7- Construção da autoridade

 

Este é um ponto crucial para se criar um negócio sólido e lucrativo online. Para ter sucesso como afiliado, é muito importante você criar conteúdo de qualidade, que façam com que os clientes te vejam como autoridade no assunto, assim, eles se sentirão muito mais confiança ao comprar algo que você promove.

 afiliado de sucesso

 

8-Estratégias para gerar tráfego em seu blog

 

Um fato sobre isso, é que de nada adianta você produzir um conteúdo de qualidade, planejar as melhores estratégias e promover os melhores produtos se o seu blog não tem um tráfego descente. Gerar um bom tráfego é uma característica de um afiliado de sucesso, pois assim ele consegue vender mais os produtos que ele promove. E para gerar tráfego, existem diversas maneiras. Pode ser com a criação de artigos, que é conhecido como tráfego orgânico, ou pelo tráfego pago, por meio de ferramentas como  Facebook Ads ou YouTube Ads.

 

 

9- Procure trabalhar com uma lista de contatos

 

Podemos definir uma lista de contatos é o principal ativo de um negócio. Procure usá-la da maneira correta, pois assim, você conseguirá criar relações estreitas com clientes. Procure sempre manter diálogos com seus clientes, e uma forma de fazer isso, é tendo um serviço de autoresponder e-mails, como a LeadLovers.

 

10- Credibilidade e Confiança

 

As vantagens de uma lista de contatos não param por aí. Ao conversas frequentemente com seus clientes, você cria uma relação d confiança, o que faz com que seus clientes estejam ao seu lado, e acabam até mesmo divulgando seu trabalho, pois eles confiam em você e acreditam em seu trabalho.

 

Comportamento do cliente, um guia completo!

comportamento do cliente

Os clientes são as grandes estrelas de qualquer empresa, afinal, eles são os responsáveis pelo sucesso do negócio, seja ele de pequeno, médio ou grande porte. E para entender muito bem o que agrada o seu público-alvo, é fundamental entender o seu comportamento. Isso inclui uma série de fatores, sejam eles demográficos, faixa etária, gostos pessoais, etc. Isso pode ser traduzido como comportamento do cliente!

O importante é sempre oferecer soluções que atendam aquele público específico.

É importante afirmar que conhecer como os consumidores interagem com as marcas, serviços e produtos, e como essas pessoas costumam realizar as suas escolhas. É um grande diferencial na hora de colocar em prática todas as estratégias pensadas pela empresa.

Cada um desses fatores recebem influencias diferentes.  Por exemplo, no caso das empresas e profissionais que prestam um tipo de serviço específico, é necessário entender como os indivíduos optam por determinado serviço. Ou então, como eles avaliam esses serviços e a maneira como as experiências são construídas.

Nesse processo, é essencial que o empresário entenda que entram em cena algumas variáveis que podem fazer com que o comportamento do cliente passe por alterações. Por essa razão, é muito importante reservar um tempo para conhecer muito bem quais são essas variáveis, e saber lidar com cada uma delas.

Fatores que influenciam o comportamento do cliente

Alguns fatores são decisivos quando o assunto é comportamento. Afinal, eles estão ligados a todo um histórico daquela pessoa. Eles acabam por moldar também a maneira como ela reage a algumas situações e como optam por determinados assuntos.

Cultura

E nessa categoria é acertado afirmar que existem alguns pontos que precisam ser observados. Por exemplo, a subcultura e a classe social em que a pessoa está inserida.

Nesse ponto, as pessoas acabam absorvendo para si um conjunto de comportamentos, valores, percepções e preferências que atuam na maneira como ele consome produtos e serviços. E no caso da subcultura está ligada a grupos menores, mas que estão inseridos naquele maior. É muito importante saber qual o seu nicho nesse vasto campo.

Sociais

Nesse momento já entram em cena os grupos referências, que são a família, amigos ou qualquer outra pessoa que tenha o poder de exercer algum tipo de influência na tomada de decisão.

Pessoais

Nesse caso estão inseridos idade, estágio do ciclo de vida, estilo de vida, personalidade, condição econômica e profissão. Todos esses elementos juntos também formam o comportamento do cliente e a maneira como ele irá tomar as suas decisões.

Psicológicos

Você já deve ter ouvido a afirmação de que o vendedor precisa ser um pouco psicólogo, e isso vale também para as empresas, afinal, esse fator realmente age diretamente nas decisões dos clientes. Dentro desse tópico podemos destacar a motivação, pois ela acontece quando o desejo de compra é despertado e é o que leva ele a tomar determinada decisão.

 

Leia também: O que é marketing de guerrilha?

 

Há também a questão da percepção, que está ligada aos estímulos físicos. Também temos influencia da compreensão desses estímulos com as necessidades vigentes. Também é necessário entender o conhecimento que a pessoa possui através da suas experiências vividas, além de crenças e atitudes.

Todos esses fatores reunidos fazem com que entender o comportamento do cliente não seja algo tão simples como alguns pensam. Na verdade, sé necessário implementar vários passos, e dinâmicas, para fazer com que o empreendedor possa adotar sempre as melhores medidas para ajudar o seu negócio a crescer.

Observe o seu cliente

Parte desse conhecimento é adquirido devido a observação feita pelos empreendedores, pois ao observar o cliente com mais atenção, é possível identificar algumas situações importantes para entender o seu comportamento. Algumas perguntas podem ser feitas para que você tenha esse olhar mais crítico na hora de analisar os seus clientes, são:

  • O que ele vê?
  • Quais os seus pensamentos e sentimentos?
  • O que ele gosta de ouvir?
  • O que ele faz e sobre o que ele fala?
  • Ele tem alguma frustração?
  • Quais os seus medos?
  • Quais as suas verdadeiras necessidades e os seus desejos?

Tudo isso irá fazer com que você tenha um compreenda melhor quem realmente é o seu consumidor. Assim você pode elaborar estratégias que consigam atingir quem realmente interessa, deixando você relevante para o seu público-alvo.

Aprenda na prática como entender o comportamento do cliente

Os exemplos são boas maneiras de compreender melhor as situações acima, e dessa maneira tentar colocar em prática dentro do seu negócio. Suponha que você tenha um produto de beleza voltado somente para homens, sendo que vários não costumam utilizar esse tipo de produto, sendo o preconceito uma das razões pelas quais alguns ainda sentem receio em adquirir esses produtos.

Alguns já podem até ter sentido a necessidade de usar esse produto. Porém, não teve o incentivo necessário para efetuar a compra. É comum que os próprios colegas falem frases feitas como “isso é coisa de mulher”, mas se por acaso a esposa ou namorada influencie o uso por parte daquele homem, ele acaba comprando o produto, mesmo que seja discreto quanto ao seu uso.

Comportamento do cliente na prática, conseguindo vender mais!

 

Percebeu como os vários fatores fizeram parte desse simples exemplo?

Então é fundamental que o empresário entenda que o consumo final é permeado de diversas ações que fazem parte do dia a dia do cliente. Sendo necessário levar em consideração que as motivações que fazem com que a pessoa compre determinado produto, ou contrate determinado serviço, são infinitas. Variam desde a realização pessoal até a conquista de espaços ou status.

 

comportamento do cliente

 

Ao compreender profundamente todos os fatores citados acima, os profissionais responsáveis dentro da empresa terão embasamento para traçar estratégias de marketing no negócio. Visto que todos esses essas etapas acabam influenciando de alguma maneira o comportamento do cliente.

Cabe a empresa procurar soluções para “driblar” os possíveis empecilhos, e enfatizar aqueles pontos mais fortes. Visto que dessa maneira, o cliente se sentirá realmente confortável. Isso, mesmo que de maneira discreta, em aceitar para si a solução que a sua empresa tem a oferecer para aquele problema que ele possui. Ou seja, a sua marca acaba virando referência para ele, e consequentemente você consegue fidelizar essa pessoa.

 

Copywriting para afiliados: o guia completo

Copywriting para afiliados

Em outras publicações, explicamos conceitos que envolvem os programas de afiliados e quais os benefícios que as empresas têm ao fazer parte de um deles. Neste artigo, iremos falar passo a passo de copywhriting para afiliados, relembrar do se trata, como deve ser feito e de quais formas ele pode ser utilizado para aumentar as vendas dos afiliados.

 

Relembrando: Copywriting não é o mesmo que marketing de conteúdo

 

O termo copywriting não refere-se a mesma coisa marketing de conteúdo, e sim a uma de suas vertentes. Pode-se dizer que ele caminha ao lado de artigos, e-mails marketing, landing pages, e-books e outras estratégias utilizadas no meio digital.

Copywriting também não é um tipo de peça publicitária. E não são poucos os que acreditando que sim, e acabam confundindo o conceito de Copywriting com o de redação, por exemplo.

Em geral, um copywriter usa textos mais curtos e bem redigidos, em assinaturas, cabeçalhos e até mesmo em vídeos, além de outras alternativas das quais o marketing digital dispõem.

 

Copywriting para afiliados

 

 

Em resumo, Copywriting para afiliados é um conjunto de técnicas utilizadas para atrair o público-alvo e influenciá-lo a praticar uma ação, em benefício de uma marca, produto ou serviço.

Sua missão é instigar os indivíduos que entram em contato com a empresa, aumentando assim o número de conversões em vendas.

 

A importância do Copywriting para afiliados

 

Quando o Copywriting não é bem executado, fica mais difícil ativar no consumidor online os gatilhos que o levem a querer adquirir um determinado produto.

Exemplificando: De nada adianta disparar um e-mail marketing com um anúncio, resumido a uma bela arte, se ao final dele, não há informações relevantes e nenhum tipo de texto chamando o leitor para a ação. Ou mesmo, se sua ágina de captura não gera leads!

Recordamos que o intuito do marketing digital é persuadir o público-alvo a se tornar de fato cliente da marca. A persuasão, por sua vez, é uma arte.

Fazendo uma analogia, o produtor de conteúdo é o artista. O Copywriting, por fim, é uma de suas principais ferramentas, no momento de atrair e prender a atenção de clientes.

 

Mas o que o Copywriting pode ter a ver com quem é afiliado?

 

Ora, tem tudo a ver! O Copywriting pode e deve ser utilizado em conteúdos produzidos por afiliados, que desejam aumentar sua margem de lucros, atraindo mais cliques aos anúncios veiculados em seu site ou blog.

É uma excelente solução para quem não se limita somente a alugar espaços publicitários em suas páginas, mas também busca gerenciá-los e potencializar ao máximo a renda gerada por meio deles.

 

 

 

Não que aquela antiga ideia, de apenas alugar o espaço e deixar tudo por conta do anunciante, não veja válida. Ela só não traz tantos lucros como a maioria imagina!

O Copywriting tem mais sentido para os afiliados que se dedicam a realmente conhecer e a impulsionar as vendas das marcas para os quais aluga espaços em sua página.

O afiliado que realmente der uma atenção a esse aspecto, oferecendo conteúdos e iscas digitais diferenciadas ao público online, sai na frente na hora de conseguir resultados melhores e mais rentáveis!

 

A eficácia do Copywriting para afiliados

 

Os lucros dos afiliados são proporcionais a qualidade e relevância de sua página. O Copywriting bem realizado é uma solução eficaz e que garante essas características a qualquer conteúdo. Este é um dos segredos para vender mais sendo afiliado!

É ainda uma técnica indicada para estabelecer um relacionamento de longa duração com o target. Um dos princípios do Copywriting é que ele não traz necessariamente novidades ao leitor, e sim ativa o que ele já sabia a seu favor.

 

Mas como isso é possível?

 

Imagine a seguinte situação: Um cliente em potencial recebe uma newsletter, oferecendo opções de cursos para atualizar seu currículos e reposicioná-lo profissionalmente, por um preço acessíveis.

Um indivíduo, recebe o e-mail, lê seu conteúdo e mesmo ele não estando desempregado, pensa: “Puxa, é tempo de crise econômica e política, em todo o mundo. E se isso chegar até mim? Não é melhor eu estar prevenido e investir no meu currículo, antes que isso ocorra?”

 

Copywriting para afiliados

 

Essa newsletter foi finalizada de maneira magistral pelo copywriter. Sua assinatura chamou o leitor para a ação, o instigou a clicar no link do afiliado e a se matricular em cursos que, antes, ele sequer sabia que necessitava fazer!

Agora, pense nos resultados que técnica é capaz de trazer, quando aplicada em conteúdos que levem os visitantes do seu site a clicar em links, disponibilizados e alimentados por você, em sua página!

 

As características do Copywriting de sucesso

 

O sucesso dos conteúdos produzido com técnicas de Copywriting pode ser atribuído aos seguintes itens:

 

Domínio do produto: Quem não conhece bem o produto que pretende vender, não reconhece seu valor. Por consequência, não é possível comunicar aos consumidores, aspectos dos quais não se domina.

Portanto, é indispensável conhecer o que está sendo vendido nos links veiculados em seu site;

 

Domínio do público-alvo: É preciso saber para quem está anunciando, e como prender sua atenção em um texto. Lembramos aqui da necessidade de utilizar palavras que o público-alvo conheça e fale habitualmente.

 

Bons títulos: É importante prender a atenção do target desde o começo. Crie senso de urgência, reciprocidade e/ou conexão emocional. Utilize verbos que influenciem a ação, enumere dicas ou passos no título e garanta que o conteúdo prometido seja esmiuçado ao longo da peça.

 

Conteúdo coerente: Utilizar subtítulos, parágrafos curtos, linguagem adequada ao target e apoiar-se em dados e argumentos convincentes, são passos indispensáveis para produzir um bom Copywriting.

Não se deve esquecer de salientar os benefícios do produto ou serviço, usando suas características como argumento.

Algumas empresas fazem junto o caminho inverso! Não se esqueça que, em geral, ninguém compra um produto somente por ele ser bonito, mas sim porque ele agrega algum valor a sua vida.

 

Feche o raciocínio e garanta a ação do leitor: Essa é uma regra básica. O Copywriting deve ser aplicado para não deixar objeções na cabeça do possível cliente.

Ao final, o texto deve retomar o título, chamar o leitor para a ação e esclarecer o que ele deve fazer para adquirir o produto ou estreitar o relacionamento com a empresa.

tem alguma dúvida ou sugestão? Entre em contato conosco!

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

Como conseguir trabalho home office no marketing digital?

home-office-no-marketing-digital

O trabalho home office tornou-se uma forte tendência de mercado, ao longo dos últimos anos. Conforme uma pesquisa realizada recentemente pela Intel e Dell, no Brasil há muitas pessoas que atuam profissionalmente de maneira remota.

Muitos são os benefícios para quem tem a oportunidade de trocar um escritório pelo seu ambiente de casa. Por exemplo, não há desgaste de perder horas no trânsito, se deslocando para o local de trabalho.

Para quem não trabalha com atendimento de clientes ou via videoconferência, também não há preocupação em utilizar uniformes ou trajes sociais. O home office ainda proporciona um maior equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Também dá a chance de se dedicar mais a tarefas de casa.

 

Como contornar desafios atuando como home office

 

Existem alguns obstáculos para quem quer ter sucesso trabalhando no regime home office. Dois desafios em especial merecem a nossa atenção: a organização do tempo e falta de convívio social.

Um caso clássico, é o do indivíduo empolgado com a possibilidade de não precisar acordar cedo, podendo trabalhar no horário que bem lhe aprouver. Aqui, um fato: isso é somente ilusão.

Estudos compravam que mais que uma obrigação, o hábito de acordar cedo é mais saudável e totalmente aconselhável, inclusive para quem trabalha em casa.

 

Trabalho em casa com marketing digital? Conheça a franquia mais barata do Brasil!

 

Há exceções, mas em geral, pessoas que dormem bem durante à noite, tem uma melhor aproveitamento do ciclo do sono. Também desfrutam de maior disposição para realizar suas tarefas diárias.

Organizar uma rotina de trabalho é fundamental inclusive para profissionais liberais. Isso possibilita não só iniciar suas atividades sempre em um mesmo horário, como encerrá-las antes e poder aproveitar momentos de lazer ao final da tarde e à noite.

Algumas questões sobre o Home Office no marketing digital!

 

A falta de contato com outras pessoas é outro porém, principalmente para quem é da área de comunicação e criação. Não há como se manter produtivo e com um bom repertório criativo sem contato pessoal, em especial no caso de quem vive só ou é a única pessoa da família a atuar como home office.

 

Leia também: os 8 pilares do marketing digital para empreendedores

 

Uma dica válida para esse caso é a de intercalar momentos de trabalho com pontos de lazer ao longo do dia. Sair para almoçar fora ou marcar alguma reunião externa com clientes são algumas opções.

No caso de pequenos empreendedores que estão começando, e tem uma maior predisposição a querer trabalhar até mais tarde, é interessante dar uma pausa por volta das 18h.

 

home-office-no-marketing-digital

 

Esse horário é um bom momento para se dedicar a alguma prática física, esportiva, assistir algum documentário ou série e, claro, se alimentar. Com as baterias recarregadas, por volta das 20h, é possível retomar o home office e dar atenção a ele até a hora de dormir.

 

O trabalho home office no marketing digital

 

Há diversos caminhos para quem quer atuar na área de marketing digital. A modalidade de trabalho home office é uma delas. Pode-se dizer, inclusive, que ambas estão intimamente relacionadas.

O marketing digital visa dar opções aos empreendedores de explorar as ferramentas disponíveis na internet, em benefício de suas marcas. Consiste em um conjunto de atividades que podem ser realizadas de maneira remota.

Com os avanços da tecnologia, o profissional responsável por colocá-las em prática, basta ter um computador com acesso à rede, o que bem pode ser feito por meio do home office.

 

 

O trabalho remoto no marketing digital pode ser uma solução

 

O mercado da comunicação tem crescido muito no Brasil e mundo afora. Como consequência, também há uma maior número de estudantes matriculados em graduações de marketing e publicidade.

Essa conta fecharia com facilidade se não estivéssemos atravessando uma crise político-econômica que tem afetado o nosso e os demais países do planeta. Como há um maior número de profissionais se habilitando na área, também há uma grande concorrência pelas vagas de emprego fixas, em especial as de grandes agências.

O home office pode ser uma porta de entrada no mercado de trabalho, no caso quem deseja adquirir experiência no ambiente online. Pode também ser a solução para os que possuem um bom currículo e desejam agora começar sua própria agência digital, dentro de casa.

Por natureza, as ações de marketing desenvolvidas via internet geram um custo mais acessível para as marcas. O trabalho home office, por sua vez, não gera os grandes gastos que agências de comunicação de grande porte demandam.

Consequentemente, o profissional de marketing digital que atua em home office, tem a possibilidade de montar orçamentos mais competitivos. Esse aspecto é visto como uma vantagem pelas empresas contratante, principalmente pelas de pequeno e médio porte.

 

Relações modernas no ambiente de trabalho

 

Um dos aspectos positivos do home office, é a alternativa de estabelecer relações abertas de trabalho. Isso pode ocorrer tanto no caso de agências de comunicação, como para empresas que optam por contratar profissionais liberais de marketing.

Atuar como freelancer é não só uma opção como uma preferência para inúmeros profissionais qualificados na área de marketing. De igual modo, para agências, em geral, é vantajoso dispor de pessoas que possam suprir demandas sazonais de trabalho.

Poder trabalhar sem ter de cumprir com protocolos, como o famoso cartão-ponto, faz os olhos das gerações mais jovens brilhar. E não por falta de disciplina, mas simplesmente porque elas encaram a vida e o mercado de trabalho de outra forma.

 

 

Dicas para quem quer começar com home office

 

Para quem possui um site ou um blog com um bom tráfego, participar de um programa de afiliados e alugar espaços publicitários, é uma forma de ganhar dinheiro sem sair de casa.

No caso, de quem quer começar a atuar com criação no marketing digital, há várias opções de sites com vagas de freelancer. Neles, é possível encontrar agências, empresas e pessoas físicas oferecendo projetos nas mais diversas áreas. O mais conhecido no Brasil é o https://www.99freelas.com.br/.

E para quem tem ideias inovadoras, acredita em seu potencial e quer oferecer diferenciais ao mercado, há a opção de começar seu próprio negócio.

Há exemplos bem sucedidos de negócios surgidos de mentes inquietas. Trabalhando em casa e se comunicando via internet, muitos encontraram formas de obter lucros com o marketing digital, sem a necessidade de construir uma agência física.

 

 

Leads: o que são e como gerar?

leads

Para quem atua na área de marketing digital, o termo leads deve soar, no mínimo, familiar. No entanto, nem todos sabem a que ele se refere e qual a sua relevância.

A definição do termo

A palavra lead pertence a língua inglesa. Sua tradução literal significa “conduzir”. Quando utilizada em uma frase, seguida da preposição “to”, transforma-se na locução “to lead”, que pode ser traduzida como “leva à”.

Portanto, as palavras lead ou leads estão relacionado ao ato de conduzir algo ou alguém a uma ação ou a algum lugar.

No contexto do marketing digital, os leads são como indicações de pessoas ou empresas, interessadas em adquirir produtos e serviços. Essas pessoas precisam ser conduzidas pelas marcas.

Em termos mais simples, leads são pessoas que utilizando, alguma ferramenta via internet, chegaram até uma marca e fizeram algum contato. A missão do marketing digital é gerar sempre mais leads e torná-los qualificados.

Então leads são os visitantes de um site?

Não, não é isso. Existe uma diferença básica entre visitantes e leads. Há pessoas que, por exemplo, visitam o site de uma marca, mas não fazem nenhum cadastro, nem deixam algum tipo contato.

O mesmo ocorre em perfis redes sociais, quando um indivíduo somente visualiza a página, porém não faz nenhum tipo de interação, nem a segue ou curte.

Portanto, possuir um site com grande número de visitas, não é sinônimo de ter um bom número de leads e, principalmente, não garante vendas.

Para o marketing digital, isso pode ser denominado uma métrica de vaidade. O empreendedor pode até ficar satisfeito em possuir páginas com grande fluxo de visitas. Mas se as pessoas não entrarem em contato com a marca, não há como vender nada a elas.

Talvez a característica que mais diferencie um lead de um simples visitante, é que o lead, de alguma maneira, está ao alcance de uma empresa, tornando-se um cliente em potencial.

A partir do momento que um indivíduo curte uma fanpage ou faz algum cadastro em site, deixando ao menos o seu endereço de e-mail, é possível estabelecer um relacionamento com ele.

Por consequência, quando há maneiras de divulgar produtos e serviços ao lead e de ter acesso às suas informações, as chances dele ser, de fato, um cliente da marca, são bem maiores.

A importância de gerar leads

O que ocorre em alguns casos é que, mesmo tendo esses pontos esclarecidos, alguns empreendedores não reconhecem a importância de gerar leads.

Cabe a quem atua na área de marketing digital mostrar que, em um mercado tão competitivo, principalmente no ambiente online, é fundamental gerar sempre mais leads.

Quanto maior for o número de leads, maiores são as probabilidades de angariar novos clientes e aumentar as margens de vendas.

É necessário encontrar soluções para transformar o maior número possível de visitantes de um site em leads. Oferecer informações relevantes e buscar manter um bom relacionamento com os possíveis clientes, são formas indicadas de fazer isso.

Consumidores que identificam em uma marca, características como um bom atendimento e iniciativa na hora de esclarecer dúvidas, são mais propensos a comprar e a fazer negócios.

Lembrando que, se desde o momento da visita em um site ou perfil em rede social, o consumidor se identifica com a maneira de atuar da marca, o provável é que ele resulte em um cliente fiel.

Como gerar leads

Já falamos sobre a definição do termo e sobre as características dos leads. Também salientamos a importância de gerar leads.

Provavelmente, você esteja se perguntando agora, como gerar leads de maneiras eficazes. Vamos lá.

 

Leia também: Inbound marketing, como usá-lo em sua empresa?

 

Gerar leads pode ser uma tarefa difícil para quem desconhece o próprio target. Ter claro do que se trata o seu produto ou serviço, e para quem ele deve ser comercializado deve o primeiro passo para qualquer estratégia.

As marcas que apostam no marketing digital precisam alinhar sua comunicação com as necessidades do possível cliente. É indispensável que uma página oficial ou em rede social fale a língua do público-alvo.

 

Marketing de conteúdo para gerar mais leads!

 

Quando um indivíduo visita o ambiente virtual de uma empresa, se identifica e compreende a linguagem utilizada por ela, é muito provável que ele deixe alguma informação pessoal ou a sua curtida.

Outro ponto importante: Para fazer com que uma pessoa saia da posição de visitante e passe a ser um lead, o mais indicado é investir na criação de conteúdo de qualidade.

Quem nunca teve a sensação de ter sido enganado ao visitar um site? Algo motiva a acessá-lo e, chegando lá… o seu conteúdo não empolga!

 

leads

 

Isso é muito comum e soa como aspecto negativo para uma marca. Resulta que o produto ou serviço comercializado por ela talvez nem seja ruim. No entanto, as informações do site não souberam vendê-lo.

 

Algumas técnicas para gerar mais leads

 

Criar conteúdo como artigos publicados em blogs, vídeos, imagens e postagens interativas em redes sociais, são armas poderosas para gerar leads. O visitante deve se sentir impulsionado a sair de uma posição passiva e disponibilizar seu contato à marca.

Textos escritos com técnicas de SEO, finalizados com um call to action – aquela assinatura, que convida o visitante a deixar um contato, por exemplo -, é um modo de convence o visitante a se tornar lead e também de aumentar o tráfego de uma página.

Apostar em newsletters também costuma funcionar para quem quer gerar leads. Para isso, deixar uma barra de fácil visualização no seu site, convidando os visitantes a cadastrarem o seu e-mail e recebê-las, é fundamental.

Ainda há a possibilidade de criar e-books. Disponibilizá-los para quem também cadastrar seus dados no site, é uma maneira inteligente de atrair visitantes e gerar leads.

Com popularidade das redes sociais no Brasil, é importante investir na criação de conteúdo e no bom atendimento por meio delas. Assim, é possível impulsionar os visitantes a darem o seu like e a fazer comentários, transformando-os em leads.

Leads qualificados

Depois de conseguir o contato dos leads, é necessário qualificá-los, oferecendo a eles conteúdo específico.

Essa ação ajuda a diferenciar os indivíduos mais propensos a se tornar clientes da marca, daqueles que estão apenas recebendo informações, mas, por algum fator externo, não pretendem adquirir nada.

 

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]

 

E-mail marketing para afiliados

E-mail Marketing Afiliado

Neste texto, iremos falar de uma das armas mais poderosas que a comunicação digital tem a seu favor: o e-mail marketing. Iremos focar, em especial, em maneiras de elaborá-los, proporcionando sucesso e retorno financeiro às estratégias de programas de afiliados.

O que são programas de afiliados?

Trata-se de uma prática, que exige um custo de investimento relativamente baixo, quando comparado às mídias tradicionais.

Por definição, o marketing de afiliados acontece quando uma empresa anuncia seu produto ou serviço em espaços publicitários, disponibilizados em sites de outras marcas ou mesmo de pessoas físicas.

Os afiliados, no caso, são os que alugam esse espaço em suas páginas, blogs ou mesmo em redes sociais.

O valor recebido pelos afiliados é uma porcentagem acordada previamente, calculada em cima da renda gerada ao anunciante, por meio dos anúncios veiculados em seu site.

Essa estratégia vem sendo bastante utilizada no Brasil. Além de ser rentável tanto para os anunciantes quando para os afiliados, é uma maneira de estabelecer parcerias amigáveis e duradouras.

Os programas de afiliados são ainda um modo de obter renda, mesmo trabalhando de casa. É o caso de quem possui um blog com bastante tráfego e artigos relevantes e, de modo inteligente, investe na prática de alugar espaços publicitários.

O que são e-mails marketing?

Os e-mails marketing são uma das mais tradicionais maneiras de divulgar um produto ou serviço ou de estabelecer um relacionamento com o público alvo, via internet. Também podem ser chamados de newsletters.

Em suma, são mensagens enviada via correio eletrônico, com o objetivo de divulgar lojas virtuais ou físicas. São indicados ainda para a promoção de eventos, como lançamento de novos produtos.

 

Leia também: E-mail marketing para anunciantes, por onde começar?

 

A importância da newsletter pode ser explicada por alguns aspectos, como o fato de quase todo mundo possuir ao menos uma conta de e-mail.

 

E-mail Marketing Afiliado

 

Ainda que muitos e-mails marketing sejam descartadas sem sequer terem sido abertos pelo destinatário – falaremos sobre como evitar isso à frente -, cerca de 80% de quem as recebe, efetua algum tipo de compra via internet.

Diante dessas estatísticas, é totalmente indicado utilizar essa ferramenta a favor do marketing de afiliados.

As funções do e-mail marketing voltado para afiliados

Primeiramente, é importante lembrar que, dentro do marketing digital, todas as estratégias têm como objetivo final elevar o número de vendas. Mesmo o foco é estabelecer um relacionamento afetivo entre marca e os clientes, a meta é potencializar lucros, ainda que a longo prazo.

Neste ponto é que se encaixa o uso de e-mails marketing com os programas de afiliados. As newsletters não devem ser vistas pelas empresas somente como uma maneira de auto divulgar-se.

Elas também servem como um chamariz para promover os produtos e serviços de outras marcas, que possuam algum link entre si. Essa solução é também efetiva para quem se dedica à blogs.

A partir do momento que uma pessoa escreve conteúdos relevantes ou aposta criação de e-books como isca digital, basta inserir uma barra para o cadastro de e-mail dos visitantes. Assim, é possível montar uma base de contatos e, na sequência, disparar e-mails marketing de afiliados, de acordo com interesse do seu público alvo.

Como criar e-mails marketing para afiliados eficientes

Não tente vender tudo para todo mundo:

Especialistas em e-mails marketing para afiliados dão essa dica valiosa, principalmente para quem investe em programas de afiliados.

De nada adianta disparar e-mails marketing sem segmentação de público. Em especial hoje, os clientes desejam ser tratados de maneira pessoal, dando atenção somente aos produtos e serviços que, de fato, suprem suas necessidades.

Portanto, é importante prezar pela divulgação produtos de afiliados alinhados com a expectativa do seu target. Cabe mencionar que comunicação digital não é uma ciência exata.

O próprio e-mail marketing pode servir de termômetro. Conforme o número de cliques e de vendas que uma mensagem impulsiona, é possível verificar quais produtos e serviços são mais populares diante da sua base de contatos.

Não ofereça produtos. Ofereça soluções:

Você já deve ter apagado aquela mensagem que chegou a sua caixa de entrada, sabe Deus como, oferecendo de cara, uma coisa da qual você sequer necessitava. Ou ao menos não necessitava naquele momento.

O problema de muitos e-mails marketing é estarem abertamente focados na venda, batendo na tecla do preço ou das clichês “ofertas imperdíveis”. Ao invés disso, é indicado tentar uma maneira de prender a atenção do leitor, oferecendo a ele algo de valor real.

Principalmente em programas de afiliados, é fundamental que uma mensagem possua um bom título, direto, salientando os benefícios que determinado produto ou serviço traz a quem o adquire ou contrata.

O conteúdo deve estar condizente com a proposta. Já que você começou falando sobre soluções no assunto do e-mail, utilize uma redação coesa, acompanhada de imagens coerentes. Explique quais são as utilidades de um produto a quem o adquirir.

A partir do momento que o leitor se sente seduzido pela ideia de ter um problema resolvido, são maiores as chances dele dar um clique no link do anunciante e efetuar uma compra, contribuindo com o seu lucro no programa de afiliados.

Ofereça iscas digitais de valor:

Dica ideal para quem usa o seu blog em programas de afiliados, e que complementando o item anterior.

Ofereça e-books e outros conteúdos de valor via e-mail marketing. Não tem nada mais decepcionante que cadastrar o seu endereço eletrônico em uma página, e receber depois, algo que não está à altura das expectativas.

Por esse motivo, é fundamental disponibilizar conteúdos atualizados e de qualidade a sua base de contatos. Além de aumentar seus lucros no programa de afiliados, irá fortalecer sua imagem no ambiente digital.

Ofereça bônus:

Aqui, dois passos são fundamentais: Primeiro, escolha produtos relacionados a sua marca, em programas de afiliados. E em segundo, siga todos os passos anteriores!

Por exemplo, se sua marca trabalha com cursos online, por que não estabelecer parcerias com quem também investe nessa área.

Encontre maneiras de utilizar o seu e-mail marketing para oferecer bônus relevantes ao público-alvo. Ofereça um curso de inglês e, como bônus, a matrícula no curso de espanhol do seu parceiro.

Essa prática é mais comum no exterior, e tem garantido um bom retorno para quem faz parte de programas de afiliados.

[contact-form-7 id=”98″ title=”Formulário de contato 1″]